quarta-feira, 13 de maio de 2009

VERGONHA E INDIGNAÇÃO! Tudo como d'antes no quartel de Abrantes!



Já dizia o ditado: “A esperança é a última que morre”, e na PMERJ parece que ela morre assassinada assim como muitos dos seus membros. Fiquei aqui em casa, olhando a TV e esperando que no apagar das luzes o senhor governador anunciasse o tão sonhado aumento. Confesso a vocês que cheguei mesmo a sonhar com a equiparação do soldo ao salário mínimo nacional, mas qual o quê!!! O digníssimo Governador do Estado do Rio de Janeiro, Sr. Sérgio Cabral, após desfilar com faixa e receber medalha (medalha que eu acho deveria ser dada a cada um dos homens que está por aí morrendo nas ruas por um salário miserável), anunciou o aumento do efetivo da PMERJ, ou seja, até o fim de 2010 teremos mais 10.000 homens mal pagos nas ruas do Rio zelando por nossa segurança.

Depois de mais essa decepção fiquei pensando se temos que ficar sentadinhas aqui, atrás da tela do PC, esperando que o governo se penalize de nossa situação ou se devemos fazer como as mulheres de Alagoas, do Rio Grande do Sul ou de Santa Catarina, que foram às ruas lutar pelo que seus maridos não podem. Mulheres como nós, que vivem o dia-a-dia angustiante de ser casada, ser filha ou ser mãe de um POLICIAL MILITAR, com letras maiúsculas mesmo, letras garrafais, do tamanho da coragem e da honra de cada um desses homens que, mesmo ganhando mal, sem terem suas folgas respeitadas, correndo risco de vida mesmo quando no lazer, mesmo sendo chamados de vermes e ladrões, estão nas ruas todos os dias, lutando, combatendo, ajudando, orientando, protegendo e virando mais um sol no céu do Brasil. Acho, com sinceridade, que existem muitas como eu, mulheres que tem vontade, garra, força e coragem de ir atrás, de cobrar do governo o que ele nos deve, nos deve não só como família de policial, seja militar ou civil, mas também como contribuintes e eleitoras, pois mesmo que não fossemos parentes de policiais, pagamos nossos impostos e temos o direito de ter uma polícia bem remunerada, bem estruturada e qualificada. Como cidadã não me sinto bem sabendo que o policial que porta um fuzil nas ruas é o mesmo que passou a noite em claro no bico ou vice e versa, porque o salário que ele recebe não dá para pagar as contas. Também não posso crer que os senhores governantes põem suas cabeças em seus travesseiros e têm uma bela noite nos braços de Morfeu sabendo que são responsáveis pela insônia de tantos pais de família!

Estou realmente indignada, como cidadã, como mulher de policial e, principalmente, como mãe, uma mãe que tem a obrigação de chegar para os seus filhos e dizer que ao alcançarem a idade de 18 anos eles serão obrigados a votar e que, na maioria das vezes, seus votos serão recebidos por pessoas que pouco se importarão com a realidade vivida dentro dos seus lares!

Caras esposas, mães, filhas, amigas e namoradas de policiais, pensem bem, vejam se não é hora de nós começarmos a lutar pelos nossos direitos.

Eu, pelo menos eu, estou cansada, e o assassinato da minha esperança foi a gota d’água para transbordar o copo, mas, como dizem, uma só andorinha não faz verão!

6 comentários:

Anônimo disse...

Polícia Militar - 200 anos - DEPUTADO FLÁVIO BOLSONARO

PM em festa, tropa em luto


Em seu bicentenário, vive a gloriosa Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro um grave momento, ante a falta de investimentos do Estado no que há de mais importante em segurança pública: o policial.

Passa o Rio de Janeiro triste quadro de violência, sendo injustamente atribuída à PMERJ a responsabilidade pela inépcia de todos os instrumentos de prevenção ao crime.

Revoltada, perde a sociedade o respeito e a confiança na Polícia. Abandonados, mal remunerados, aterrorizados por um regulamento disciplinar obsoleto e arbitrário e, ainda, submetidos a jornadas de trabalho desumanas, insalubres e arriscadas, sentem os integrantes da Corporação a morte de seus ideais e de muitos colegas de farda.

A desmotivação é visível nos rostos dos policiais em qualquer viatura posicionada nas ruas. Sumariamente excluídos caso ocorram imprevistos polêmicos na ação policial, ficam temerosos por cumprirem seus deveres. Suas carreiras militares, de um dia para o outro, podem ser encerradas sem que sejam respeitados os princípios constitucionais da presunção da inocência, da ampla defesa e do contraditório. O PM hoje não tem segurança jurídica para trabalhar.

O resultado é que muitos policiais estão esperando o tempo para passar à inatividade ou fazendo concursos para carreiras menos arriscadas e melhor remuneradas.

A solução está nas mãos do Governador - que deveria estabelecer, com urgência, um conjunto de ações eficazes para a reconquista do espaço perdido para o crime e para a valorização e motivação da tropa, para que a PMERJ e seu efetivo comemorem outros séculos de glórias. Mantido o atual abandono, acabará por tornar-se, tão somente, um caso de polícia.



* Flávio Bolsonaro é deputado estadual e integrante da Comissão de Segurança da Alerj

http://extra.globo.com/geral/casodepolicia/posts/2009/05/14/pm-em-festa-tropa-em-luto-186119.asp

MULHERES DE POLICIAIS disse...

Amiga manda notícias!

Anônimo disse...

Tbm sou esposa de um PM. Do interior do estado. Tbm fiquei super frustrada no dia 13. 200 anos? Olhe quem ganhou medalha???!!! Parece brincadeira... Adorei seu blog, acho que devemos sim, como esposas, mas principalmente como cidadãs nos reunir e reinvindicar dignidade e segurança.

Anônimo disse...

Polícia Militar
PM gasta R$ 16 milhões com coronéis
Às vésperas do lançamento de um pacote na área de segurança pública do Estado, oficiais da Polícia Militar se surpreenderam com um levantamento nas contas internas da corporação. Por mês, a PM gasta R$ 16 milhões com seus cerca de 900 coronéis. Tanto para aqueles que estão na ativa como para os inativos. Documento da própria Polícia Militar ao qual o EXTRA teve acesso mostra que em junho de 2008 eram 120 coronéis. A maioria deles recebe em média algo em torno de R$ 9 mil. Só para constar, um soldado em início de carreira ganha R$ 619,89.

http://extra.globo.com/geral/casodepolicia/posts/2009/05/16/pm-gasta-16-milhoes-com-coroneis-186843.asp

CHRISTINA ANTUNES FREITAS disse...

Silvia:

A cara de pau é tão grande, que se o Governo não tem dinheiro para dar correção salarial ao efetivo atual, imagine aumentando substancialmente o numero de Policiais?
Aumento? Só creio, quando conseguir retirar o dinheiro em um Caixa Eletrônico. Não acredito nem em contra cheque.
Alguns militares já vivenciaram: contra cheques sem fundos...

Apoio um movimento de mulheres de Policiais, mas não apoio um movimento em que existam divisões, como Mulher de Oficial vs Mulher de Praça.

Por contar em um Blog, a minha participação em uma passeata de mulheres de Militares Estaduais (não existia essa divisão, bastante instigada, entre mulheres de Oficiais e Praças) à quase trinta anos (anos 80) até hoje sou criticada por dizer o que vivenciei.
Deveria mentir? Deveria Omitir?
Não faz parte de meu perfil.
Porém os tempos mudaram: só que não acredito que para melhor!

Também sou de acordo que alguma coisa tem que ser feita, mas tendo muita desconfiança que a real intenção do Governo Estadual e da Presidência da República, é levar as PM's à um nível tão baixo, para que eles possam estar "cheios de razões" ao divulgar para o povo, "motivos" para extinção das mesmas.

Abraço fraterno,
CHRISTINA ANTUNES FREITAS

claudia_scorpiao2004 disse...

Olá Silvia, agradeço pela sua indignaçao em relaçao ao descaso dado a morte da minha irma! realmente nao podemos genralizar a PMRJ, poi tenho fé que existe pessoas de bom carater dentro da coorporaçao! mas nao posso deixar de gritar e falar sobre o caso Erica (minha irma) pois como pode um MAJOR DA POLICIA MILITAR cometer algo tao sordito, de tremenda crueldade, nem bandindo morre assim! é lamentavel que vivemos no mundo de desconfiaças, nao sabemos quem pode nos ajudar! faz 01 ano e meio que Erica foi enterronpida de continuar a viver!!! e o MAJOR BRENO PERRONI ELEUTERIO, continua com todas as regalias que sua patente faz merecedor!!! aonde esta meu governador SERGIO CABRAL!!
Hoje perdi uma irma com 11 tiros nao, foram 15 tiros, um dia poderá ser alguem!!!!!!! e ai sim quando foir um politico, quando for um juiz que perderá alguem da familia, as coisas irao andar mas rapido!