terça-feira, 12 de maio de 2009

Esperança!

Amanhã a Polícia Militar completa 200 anos e eu, que aprendi a amar essa casa como uma grande família, parei para fazer um balanço dos anos em que convivo com ela. Vejo hoje uma casa bem diferente da do passado, que era uma casa suntuosa, respeitada e temida, porém também sabia retribuir o respeito a ela dedicado. Lembro que o salário, apesar de não ser altíssimo, era bastante razoável, um soldado ganhava algo em torno de 5 salários mínimos, o HCPM era tido como um dos melhores hospitais e nele tínhamos tudo o que precisávamos, lembro das cestas de natal, duas caixas grandes que além de conterem itens natalinos tinham ainda itens da cesta básica, recebíamos duas garrafas de vinho e uma de sidra e como frios recebíamos um peru da Sadia, salaminho, mortadela, fiambre de peru e peito de chester. Era o tempo em que a arma do policial era o velho revólver 38 e umas metralhadoras INA, que ouvi várias vezes dizerem que significava: “Isso Não Atira”, era o tempo em que o policial pegava um ônibus fardado e desarmado sem correr riscos, pois o marginal sabia que qualquer atentado contra a vida de um policial teria resposta à altura. Lembro do meu marido voltando para casa fardado com as ditas cestas de natal dentro de um ônibus cheio, ele em pé e eu sentadinha, e ele reclamando que as cestas pesavam muito e que o papelão não prestava e que elas iriam rasgar e espalhar tudo pelo chão. Bons tempos... Reclamávamos do que tínhamos! Ah se pudéssemos prever o futuro... Com certeza não teríamos reclamado das cestas, hoje sinto falta delas, pois qualquer coisinha já serve para sobrar algum dinheiro para melhorar o presente dos garotos. Estive essa semana no HCPM acompanhando meu marido e tentei marcar endocrinologista para mim, me deram um papelzinho e disseram para aguardar em casa que quando fosse marcado me ligariam, achei o máximo, até que uma senhora me disse que ela estava esperando essa marcação há quatro meses, que saudades de quando chegávamos lá e éramos atendidas no mesmo dia... Bom, mas pelo menos para o hospital teve uma boa notícia, hoje, véspera do aniversário da corporação, saiu na coluna da Berenice Seara uma notinha comunicando que o empresário Eike Batista doou um mamógrafo para o hospital, bom presente, será que virão outros?

Amanhã é o grande dia!!! Duzentos anos!!! Será que existe alguma surpresa preparada para nossa grande família? Será que teremos as boas notícias que tanto aguardamos?
Como boa nora que sou vou dormir sonhando que a grande mãe de meu marido, a matriarca da nossa família, amanhecerá mais madura e mais benevolente, rígida e austera, porém com a mão aberta e com um discurso que irá nos maravilhar, o discurso da valorização dos seus filhos já tão judiados e punidos pela falta de atenção e de valorização!

2 comentários:

Soldado Anônimo disse...

Linda postagem e excelente blog! adicionei aos meus favoritos e quero que observe tambem e divulgue o quanto puder o blog das pracas da PMAL

pracasdapmal.blogspot.com

Abracos!

Anônimo disse...

MINHA AMIGA!
QUANTA(s) DECEPÇÃO(ÕES) NO DIA DE HOJE. TEMOS UMA TROPA DESMOTIVADA E AGORA DESILUDIDA, E NÃO PODEMOS FICAR DE BRAÇOS CRUZADOS!