terça-feira, 3 de março de 2009

Quando o direito irrestrito à maternidade se torna caso de polícia

Assistindo TV deparei-me com um caso no mínimo escabroso, uma mãe, dependente química, convidou 10 pessoas para fazer uma festinha em sua casa, onde reside com duas filhas menores, uma com 12 e outra com 3 anos. Tudo ia “numa boa” até que o consumo de drogas e álcool saiu e controle e a “zelosa” mãe foi feita refém junto com suas filhas na própria casa, onde a menor de 12 anos foi repetidamente estuprada por dez homens durante 72 horas, até que as três conseguiram fugir e ir a polícia denunciar os abusos que, diga-se de passagem, não teriam acontecido se a “mamãezinha” não tivesse levado os 10 marginais para casa.
Agora começo a debater o ponto principal que me levou a falar desse caso: Até que ponto mulheres e adolescentes, sem responsabilidade com elas mesmas devem ter o direito de pôr crianças no mundo desrespeitando o direito a uma vida digna daquele que vai nascer? Em que ponto esse direito deixa de ser um direito individual e passa a ser um problema policial? É gente, problema policial, pois como no caso acima, as irresponsabilidades maternas acabam chegando nas delegacias, no chamado a uma viatura da PM, nos hospitais e, nos piores casos, nos necrotérios e IMLs. Não é raro vermos nos noticiários casos de crianças acidentadas, violentadas e sofrendo todos os tipos de violência por conta de irresponsabilidade materna, mas a pior conseqüência dessas irresponsabilidades é a formação de marginais e drogados que se multiplicam nas ruas de nosso país. Sou plena e completamente a favor do controle de natalidade rigoroso, é público e notório que miséria gera miséria, quem não recebeu educação, não tem como dá-la e mães viciadas e envolvidas com o ilícito, conseqüentemente criarão filhos com as mesas características, salvo raras exceções. Qual o futuro que terá uma criança cuja a mãe é viciada em crack e mora embaixo de um viaduto? Será que, no mínimo, 50% das crianças nascidas nessa situação chegam a idade adulta sem nunca terem se envolvido com autuações policiais? Creio que não!
Creio que grande parte da solução dos problemas de segurança do nosso estado esbarram na proliferação desenfreada de partos irresponsáveis criados pela falsa ilusão escondida sob o belo nome “direito à maternidade”. A maternidade é um direito da mulher, isso é incontestável, mas esse direito deixa de ser irrestrito quando esbarra na miséria, no vício e na irresponsabilidade advinda da adolescência que trarão como conseqüência a falta de dignidade e de direitos mínimos de sobrevida da criança que será gerada e na projeção do aumento da violência a longo prazo.
Acho que o direito a maternidade, hoje em dia, é sim caso de polícia, e dos casos mais sérios, pois a irresponsabilidade de mães cheias de direitos está gerando um aumento desenfreado de casos que acabam na polícia.
Sei que posso parecer meio exagerada, ou um tanto quanto confusa na explicação dos meus pensamentos, mas acho também que não há muito o que explicar, é só ler os jornais, olhar o dia-a-dia ou, em casos mais específicos, visitar algumas pediatrias de hospitais públicos ou pesquisar os históricos familiares da grande maioria dos menores infratores. Está na hora dos nossos políticos pararem com discurso empolado de defesa de direitos e começarem a agir efetivamente na proteção não só da população que já está aí mas, principalmente, na que está por vir, nessa gama de crianças que ainda não foram geradas, mas que ao serem já estão sem nenhum direito e que por futuro só terão o caminho das drogas e da degradação!

5 comentários:

Victor disse...

As considerações apresentadas são bastante verdadeiras, porém esbarram na demagogia hipócrita de setores da sociedade e do Governo, garantindo a continuidade do quadro social que temos hoje.

André Schirmer disse...

Concordo plenamente com o que foi escrito e a muito tempo que sou a favor do controle da natalidade, sendo feita uma triagem das mães, que tem seus filhos principalmente nos hospitais públicos, para saber dados como idade, quantidade de filhos, se são todos do mesmo pai, escolaridade, ocupação, enfim, dados que proporcionem fazer um panorama completo para saber as reais condições que essa mãe terá para criar esse filho, e mais, criar critérios para que dependendo da situação, seja feita a laqueadura, para que, por exemplo, uma mulher com 20 anos, 5 filhos, um de cada pai, pai preso, pai que já morreu, pai que sumiu etc. Não possa mais colocar uma criança no mundo que não terá expectativa de futuro a não ser, salvo um milagre, partir para a criminalidade e se tornar estátistica em mais algum estudo sobre segurança pública.

Anônimo disse...

Muito bom este teu blog, parabéns continue escrevendo estas verdades. Sou advogada e sou favorável ao controle de natalidade, (e contrária aos programas assitenciais de bolsa que nada exigem em troca desses pais e mães e só estimulam mais nascimentos irresponsáveis). Precisamos de educação forte, e de tudo que impeça essas mães de fazerem da vida de seus filhos esse terror e miséria sem fim. Hoje mesmo soube de um caso de pedofilia em que uma mãe não declarou à polícia o caso assim que soube. Esperou cicatrizarem as marcas para levar a filha ao médico (!!!) Isso é só um exemplo, essas mães deveriam ser duramente punidas pela omissão e negligência. Um abraço, precisamos de mais blogs assim! Ana Paula, RS

Anônimo disse...

“Oficial! A Copa do Mundo é nossa ( retirada do site globoesporte.globo.com/ESP – 03/10/2007)
A Copa do Mundo é nossa! Depois de mais de cinco décadas de espera, o Comitê Executivo da Fifa confirmou nesta terça-feira, na sede da organização, em Zurique, na Suíça, o Brasil como sede da Copa do Mundo de 2014.
Ao todo, são 18 capitais de todo o país concorrendo para receber os jogos. A Fifa recomenda ao Brasil que escolha apenas dez sedes. No entanto, devem ser indicadas 12 localidades, como nas Copas de 2006, na Alemanha, e de 2002, no Japão e na Coréia do Sul.
Os concorrentes são: Belém (PA), Belo Horizonte (MG), Brasília (DF), Campo Grande (MS), Cuiabá (MT), Curitiba (PR), Florianópolis (SC), Fortaleza (CE), Goiânia (GO), Maceió (AL), Manaus (AM), Natal (RN), Porto Alegre (RS), Recife (PE), Rio Branco (AC), Rio de Janeiro (RJ), Salvador (BA) e São Paulo (SP).
Nestas cidades, 14 estádios serão reformados para receber o Mundial. Em outras quatro, as arenas ainda serão construídas, todas no Nordeste. Em Maceió, será a Arena Zagallo. Em Natal, o Estádio Estrela dos Reis Magos. E mais a Arena Recife-Olinda, em Pernambuco, e a Arena Bahia, em Salvador.
Após receber a taça da Copa do Mundo das mãos de Blatter, Lula assegurou ao presidente da FIFA que o Brasil estará, de hoje até 2014, se preparando para realizar uma das maiores Copas do Mundo da história .
- O mundo terá a oportunidade de ver o que o povo brasileiro é capaz de fazer. O futebol para nós, brasileiros, não é apenas um esporte, mas uma verdadeira paixão.”
Caros amigos de farda, nestes últimos tempos, nossos dias não tem sido nem um pouco agradáveis, salários humilhantes, regulamentos covardes, corrupção em todos os níveis de nossas Corporação.
Entretanto, o que mais me deixa indignado é o descaso de nossos governantes, somos tratados como escravos, estatísticas sem nome que são apenas computadas como “menos um”.
Não importa qual seja o seu Estado ou a sua Corporação: Bombeiro Militar, Policial Militar, Policial Civil, etc... Todos nós somos vítimas da disparidade salarial, sendo que muitos ainda não possuem seus direitos de hora extra, periculosidade, insalubridade, o que deveria ser de obrigação de todos os Estados regularizarem tais gratificações.
Onde quero chegar,
Como no texto acima, Lula afirmou ‘que até 2014 o Brasil estará preparado para realizar um das maiores Copas do Mundo da história’, mas, acho que todos concordam que para se sediar uma Copa do Mundo é necessário que se tenha uma infra-estrutura praticamente de primeiro mundo, e para isto tanto as áreas de Segurança (Policiais) quanto Saúde (Bombeiros), devem ser como no primeiro mundo também.
Amigos , já perdemos o PAN (ESPERO QUE TODOS ME ENTENDAM), embora seja a longo prazo, precisamos em todos os Estados, nos unir, para que nossas Corporações sejam moralizadas, projetos como a PEC 300/08 estão tramitando, temos que botar mais ênfase para que vingue.
“AS PESSOAS NÃO DEVIAM TEMER SEU GOVERNO, O GOVERNO É QUE DEVIA TEMER SEU POVO.” V
Por favor repassem para todos os Blogs em outros estado.

Anônimo disse...

parabens pelo blog,manda coisas mas LIDIANE LIMA MANAUS-AM
E-MAIL:LILIKLA_GOSTA@HOTMAIL.COM.BR